Por que líderes inteligentes falham


Por Travis Bradberry

A maioria das empresas é liderada por pessoas altamente inteligentes e quando falham geralmente é por conta dos erros idiotas desses líderes inteligentes. Até mesmo quando um produto – ou a falta de um – está no centro do espetáculo, o pensamento falho de pessoas muito inteligentes é geralmente o que fez com que as coisas desmoronassem.

Existe uma quantidade muito grande de exemplos para listar todos eles, mas dentro dos meus favoritos está a Kodak, uma empresa que inventou e que se atrasou na tecnologia da fotografia digital porque sua liderança teve medo de que isso fosse desfazer o núcleo de seus negócios (eles entraram posteriormente em falência). E tem a Xerox, uma empresa que não apenas falhou em capitalizar um dos produtos mais revolucionários da história – um computador com interface gráfica de usuário – mas deixou que os funcionários da Apple visitassem e copiassem sua tecnologia. Não preciso dizer como isso terminou.

É fácil e até reconfortante assumir que esses líderes não estavam prestando atenção, porque isso reforça a ideia de que tais falhas nunca poderiam acontecer conosco. Mas a verdade de tudo é que esses líderes foram pessoas inteligentes com históricos altamente impressionantes. Você pode ter certeza de que eles estavam prestando atenção. Mas, então, o que aconteceu?

Sydney Finkelstein, um professor da Darthmouth’s Tuck School of Business, passou seis anos buscando uma resposta para essa pergunta. Ele e seus colegas estudaram 51 das falhas mais famosas do mundo dos negócios, entrevistando CEOs e pessoas de todos os níveis. Finkelstein quis entender os funcionamentos internos de cada negócio, explorar as mentes dos principais executivos e descobrir o que os levou a tomar decisões desastrosas.

Ele e sua equipe descobriram que as decisões fracassadas que esses líderes inteligentes tomaram foram algumas vezes intencionais e algumas vezes acidentais, mas eles sempre seguiram um padrão claro de arrogância que garantiu que mesmo a empresa mais próspera fosse arruinada.

Aqui temos o que os líderes no estudo de Finkelstein tinham em comum:

Eles se viam e viam suas empresas como intocáveis
Não há nada de errado em ter metas altas ou um senso saudável de orgulho, mas estes líderes foram longe demais com seu sucesso. Eles se tornaram tão apaixonados por suas ideias que eles acreditavam que seus competidores nunca iriam os alcançar, que suas circunstâncias nunca iriam mudar e que nenhuma perturbação iria surgir. Estas expectativas surrealistas fizeram com que o fracasso fosse inevitável. Líderes devem questionar suas posições continuamente, especialmente quando estão no topo.

Eles não sabiam onde terminavam e a empresa começava
Os líderes no estudo de Finkelstein tinham posições elevadas e eram obcecados com a imagem da empresa. Como resultado, eles estavam muito ocupados sendo o rosto da empresa para liderá-la efetivamente. Isso não apenas acarretou a estagnação, mas também gerou desonestidade e corrupção. Um líder que enxerga uma empresa como dele é mais propenso a esconder qualquer coisa que possa comprometer aquela imagem, seja isso em números baixos ou produtos defeituosos.

Eles se viam como a pessoa mais inteligente do lugar
Muitos líderes inteligentes sabem muito bem o quanto eles são inteligentes. Suas identidades se tornam tão envolvidas com sua inteligência que eles acreditam que sugestões de outros são desnecessárias. Eles tomam decisões rapidamente e se recusam a responder perguntas quando há mau-entendimentos. Apesar de que isso possa se encaixar na imagem televisiva de um líder forte, tomar decisões em fração de segundo com imprudência frequentemente leva a erros maiores. Sua chance de fracasso é aumentada quando você não se importa com o que os outros pensam.

Eles se rodearam de homens e mulheres “sim”
Alguns líderes se tornam tão obcecados com lealdade que eles esperam apoio irracional para toda decisão que eles tomem. Isso alienia funcionários valiosos e silencia vozes que poderiam de alguma forma ajudar a empresa prosperar. Quando um líder começa a igualar desacordo com deslealdade, ou pior – com o enfraquecimento de sua autoridade – não resta ninguém para levantar o sinal de aviso.

Eles passaram direto pelos sinais vermelhos e placas de aviso
Alguns líderes estão tão enamorados por suas visões pessoais que eles estão dispostos a dirigir sua empresa até um penhasco para alcançá-las. Muitos desses líderes solicitam contribuições e sugestões, mas eles não conseguem tirar o pé do acelerador. A persistência é uma ótima qualidade em um líder, mas não se isso significa ignorar os fatos.

Eles confiaram muito no que funcionou antes
Avaliar os sucessos e fracassos anteriores de alguém pode ajudar uma empresa a prosperar, mas o passado não deveria ser a força motriz por trás do futuro da empresa. A equipe de Finkelstein encontrou que muitos líderes fracassados pegaram um momento pivô de suas carreiras e tentaram continuamente reproduzi-lo, até mesmo quando os estágios anteriores não faziam mais sentido. O consumidor precisa de tecnologia e o cenário competitivo pode mudar com um estalar de dedos. Por este motivo, líderes prósperos estão constantemente adaptando seus arredores.

Juntando todas as peças
A pesquisa de Finkelstein nos mostra que a maioria dos fracassos nos negócios pode ser evitado. E que os líderes mais inteligentes olham profundamente para seu próprio comportamento para corrigir potenciais problemas antes de ser tarde demais.

_______________________________________________________

Dr. Travis Bradberry é co-autor do best-seller número 1 nos EUA, Emotional Intelligence 2.0, e também co-fundador daTalentSmart, uma das empresas líderes do mundo em fornecimento de testes e treinamentos em inteligência emocional, servindo a mais de 75% das empresas da Fortune 500. Muitos de seus livros foram traduzidos para 25 idiomas e estão disponíveis em mais de 150 países. No Brasil, é possível encontrar O Código da Personalidade. O Dr. Bradberry já escreveu ou contribuiu com publicações como Newsweek, TIME, BusinessWeek, Fortune, Forbes, Fast Company, Inc., USA Today, The Wall Street Journal, The Washington Post, and The Harvard Business Review.

Fonte: http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/por-que-lideres-inteligentes-falham/93730/

Acessado em 23/02/2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s