Jogos Paralímpicos: quais reflexões sugerem à gestão?


por Carlos Julio

Depois da emocionante festa olímpica da Rio 2016, acompanharemos, nos próximos dias, na Cidade Maravilhosa, aos 526 eventos das 23 modalidades dos Jogos Paralímpicos, dos quais participarão cerca de 4.500 atletas.

O Brasil estará de olho nas disputas, especialmente em razão dos ótimos resultados dos nossos representantes em competições anteriores.

Se o brasileiro especializou-se em driblar obstáculos, atravessar crises e superar problemas, certo é que nossos atletas com necessidades especiais também se exercitam nessas virtudes.

Mas qual lição os nossos empreendedores e gestores podem obter deste formidável evento globalizado?

Há em nosso país uma lei de integração dos deficientes ao mercado de trabalho, a 8.213, de 1991, que foi regulamentada nove anos depois. Ela estabelece que empresas com 100 funcionários ou mais tenham em seus quadros de 2% a 5% de reabilitados ou portadores de deficiências.

Como é comum em nosso país, a lei parece generosa e justa, mas quase sempre não é acompanhada de políticas públicas, e mesmo privadas, que possibilitem sua plena e proveitosa aplicação.

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Recursos Humanos mostrou, em 2014, que 81% dos recrutadores contratam apenas para cumprir a lei e evitar sanções legais. Outros 12% o fazem independentemente da exigência da cota e somente 4% declaram acreditar no potencial desses colaboradores.

Na verdade, não é fácil cumprir a lei, especialmente em razão da omissão do Estado. A empresa pode, por exemplo, selecionar um bom candidato, mas como garantir que se locomova de sua residência até a empresa?

De modo geral, o transporte público não é preparado para atender às exigências especiais desse grupo. Os próprios trajetos urbanos são restritivos e oferecem duros obstáculos até para aqueles em plena forma.

Há outro problema fundamental. Hoje, já é um desafio obter mão de obra qualificada para diversos setores. Essa dificuldade se multiplica quando essa expertise precisa ser encontrada em um deficiente, integrante de uma parcela minoritária da população.

O que ocorre, muitas vezes, é que determinadas contratações são realizadas por obrigação, mesmo quando o candidato não atende às exigências de competência determinadas pela empresa.

Nesses casos, o resultado é sempre danoso, para a empresa e para o funcionário, tratado como “café-com-leite”, estigmatizado e desprezado, pelos gestores e, frequentemente, pelos colegas.

Para superar a desilusão e o cinismo, é necessário um investimento planejado em educação e capacitação de portadores de necessidades especiais. O que pode, efetivamente, fazer um deficiente visual?

Onde pode desenvolver-se, de acordo com seu talento e vocação, aquele que perdeu uma perna em um acidente de motocicleta?

Afinal, o serviço oferecido ao deficiente não pode ser encarado como uma caridade. Esse modelo paternalista prejudica a composição de equipes harmônicas de trabalho e, ao mesmo tempo, avilta o empregado.

O empreendedor e o gestor podem aprender muito com os portadores de necessidades especiais. Quando superam seus traumas, eles se excedem em esforço, em criatividade e em apoio a seus iguais.

Os deficientes bem integrados à empresa costumam ser mestres em sugerir soluções, em propor inovações e em animar o grupo na superação de barreiras produtivas ou comerciais.

Quando respeitados, valorizados e capacitados, costumam descobrir o caminho não imaginado pelos demais. Inventam e reinventam, como fazem os astros do esporte paralímpico.

Se você contrata, pesquise mais a respeito, atualize-se e procure aprender com esses irmãos e irmãs que a vida fez especiais. Certamente, há um lugar na sua empresa em que um deles vai triunfar, e vai compartilhar contigo o sucesso.

Afinal, a teoria, na prática, funciona!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s